Homenagem de Rubenio Marcelo a Campo Grande, MS, que aniversariou ontem!

campo grande, noturno

Rubenio Marcelo*/ Academia Sul-Mato-Grossense de Letras

27/08/2017

Jornal Correio do Estado / Suplemento Cultural  

Ostentando a condição natural de uma das capitais mais importantes do País – detentora de aspectos socioeconômicos destacados e manifestações culturais diversificadas – a nossa querida “Cidade Morena” comemora 118 anos de emancipação política.

campo grande 2Conforme os anais da história, Campo Grande surge como município em 26 de agosto de 1899 (por meio da Resolução nº 225), e – através da Lei Complementar nº 31, assinada pelo então Presidente da República, Ernesto Geisel, em 1977 (11 de outubro) – é elevada à Capital do Estado de Mato Grosso do Sul (que foi instalado oficialmente em 1º de janeiro de 1979).

Como é prazeroso e confortante viver em Campo Grande!… Viver Campo Grande… Desfrutar das suas belezas, visitar seus pontos turísticos, acompanhar o seu harmonioso e sustentado progresso, enfim: curtir o fascínio geral que emana naturalmente desta ‘Rainha do Centro-Oeste’, ‘Capital dos Ipês’. A propósito, a nossa saudosa amiga e confreira Maria da Glória Sá Rosa assim asseverou num dos seus artigos: “A Campo Grande de meus sonhos – feita de imagens, rostos, paisagens, monumentos – é única em sua configuração. Por isso, marcou-me profundamente e não a troco pela mais brilhante metrópole do universo”. Já o confrade poeta Geraldo Ramon Pereira assim extravasa no seu soneto “Campo Grande de agora”: “(…) São teus prédios mãos postas a um bendito / Céu de araras azuis com garças claras… / Teu luar tem o encanto de algum mito! / Nem se sabe o que em ti é mais bonito: / Se as manhãs – que em sorrisos escancaras; / Se as tardinhas – em que oras ao Infinito!”.

E eu, que fui acolhido tão bem por esta bela “Morena” (e que hoje registro também a honra de ser um Cidadão Honorário Campo-Grandense), tenho timbrado o meu amor telúrico por esta Cidade em algumas das minhas composições autorais. Para a nossa principal via urbana (Avenida Afonso Pena), por exemplo, escrevi soneto assim: “Ó meiga e majestática Avenida, / Orgulho da Morena Capital… / Das nossas volições és acolhida; / De Campo Grande és um cartão-postal. // Teu canteiro central preserva a vida / Que se esparge em visão escultural…/ Cenário arborizado, paz florida, // Colóquios em canção dominical. // A flora centenária, que te adorna, / Encanta a afável noite e a tarde morna / Com semblante virente e tez amena… // És patrimônio histórico de um povo, / Paisagem de beleza e de renovo,/ Oh! impar Avenida Afonso Pena!”.

No nosso belíssimo Parque das Nações Indígenas (um dos maiores parques urbanos do mundo) tive esta inspiração: “Andar no Parque das Nações Indígenas/ É remoçar no reino da beleza, / Interagindo em tom com a Natureza / Que afaga todos com feições celígenas… // Nas sendas verdejantes… Cantilenas / Da fauna são prelúdios de pureza… / As águas, madrigais em correnteza, / Repletam messes de estesias plenas…// Voar no voo terno das araras / E vislumbrar a paz das capivaras / Aos sóis deste habitat olimpiano… // É sublimar a vida que se expande / Em pleno coração de Campo Grande… / É conceber mens sana in corpore sano!”.

E agora, nesta ocasião especial, reitero de coração este meu singelo tributo-homenagem em soneto (Minha Ode a Campo Grande): “Ser estame da flor deste cerrado / Em perfeito e justíssimo prazer… /Partilhar deste encanto abençoado/ Que sublima a cerviz do nosso ser. // Seduzir-se perante este eldorado/ No fluir natural de um benquerer…/ Chamar-se chamamé, mate gelado, / Ou guavira em eterno florescer… // Ter a morena cor deste lugar; / Ser qual trigo fecundo e respirar / Toda beleza inata que se expande… // Verdejar horizontes e sementes / Em segredos e prosas transcendentes… / E ser feliz assim em Campo Grande!”.

*Poeta escritor e Cidadão Campo-Grandense

Trilogia ao 118º aniversário de nossa Capital

Geraldo Ramon Pereira*

I – GÊNESE DE CAMPO GRANDE 

Bíblico é o vulgo: foi de terra pura

Que o bom Criador, em gesto quase insano,

Modelou, em carinho/amor/doçura,

Seu engenho cabal – que é o ser humano.

 

De alhures terra, em análoga ventura,

– Imitando do Pai o santo plano –

Um filho-herói fez maxi criatura

Ao fundar Campo Grande – de amor lhano!

 

Deu-lhe o sopro da vida o Zé Antônio,

Que aqui pôs em labor o seu monjolo,

Qual símbolo perpétuo do seu sonho:

 

A bica d’água é o suor desta gente

Que aciona, no progresso deste solo,

Um monjolo a cantar eternamente!

 

II – CAMPO GRANDE DE OUTRORA

 Terra dos guavirais, das seriemas,

Do ariticum, dos campos mais floridos…

Cidade de mil raças, de mil lemas,

Memória de saudosos tempos idos!

 

Um solo de Inocências, de Iracemas,

De jagunços, de humildes ou “metidos”…

Chão que prende por múltiplas algemas,

Mas que liberta sonhos reprimidos…

 

Cadê os seus mendigos imortais?

Cadê Josetti, onde anda o vil Pompílio…

Maria Bolacha… irmãos, por onde andais?…

 

Talvez com Barbosinha ao léu vagais,

A buscar de uma estrela o falso brilho

No céu de um tempo que não volta mais!

 

III – CAMPO GRANDE DE AGORA

Procurei trescalar do ansioso peito

O saudosismo que em minh’alma aflora,

Para dar chance a outro tema eleito

Que é, Campo Grande, te cantar no agora.

 

Falar-te carinhoso – esse é o meu jeito –

Do quanto o meu ser te ama, quer e adora…

Que cada rua tua é róseo leito,

Que me esperta ao labor a qualquer hora!

 

São teus prédios mãos postas a um bendito

Céu de araras azuis com garças claras…

Teu luar tem o encanto de algum mito!

 

Nem se sabe o que em ti é mais bonito:

Se as manhãs – que em sorrisos escancaras;

Se as tardinhas – em que oras ao Infinito!

*Supimpa, Geraldo, Supimpa!!! (Hermano de Melo de Melo)

*****

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s