Parque das Nações Indígenas em Campo Grande, MS: obra quanto mais velha, mais moderna

parque das nações indígenas

20/03/2017 

Alana Regina /Jornal ‘O Estado’

“Foi assim que tudo começou. O doutor Pedro [Pedrossian, ex-governador] queria dar novos ares a Campo Grande e criar um projeto que beneficiasse toda população. O que mais me marcou, na época, foi uma frase dele. Ele disse assim: ‘vou criar uma obra que, quanto mais velha ficar, mais moderna será’”, lembra o ex-presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Chico Maia, sobre a Criação do Parque das Nações Indígenas, em 1993.

parque das nações 0

Localizado no perímetro urbano, num fundo de vale na área leste da Capital, o Parque tem 116 hectares e está a poucos minutos do centro da cidade. Considerado um dos maiores parques urbanos do mundo, o local foi criado por meio do Decreto nº 7.354/93, e destinado à promoção de atividades recreativas, esportivas, educativas e culturais. A criação do parque surgiu através de um projeto, que o ex-prefeito da Capital Lúdio Coelho, havia planejado para a área.

“Eu era presidente da Câmara. Em uma conversa, o doutor Pedro me perguntou se o Lúdio tinha algum projeto para construir um parque na cidade. Eu respondi que sim, mas que a ideia era fazer um pequeno parque próximo ao shopping. No local seriam construídos edifícios, mas com a condição de que quando isso ocorresse o responsável teria que deixar 50 metros de fundo para o lazer” conta.

cavalo.jpg

Chico recorda que, às 5h do dia seguinte recebeu uma ligação do ex-governador. “Ele disse assim. ‘Bom dia Chico Maia, o que está fazendo?’. Eu respondi que estava tomando mate. Então ele perguntou se eu podia ir ao seu encontro. Chegando ao local, onde hoje fica o Yotedy Buffet, ele apontou para a região e começou a falar sobre seu projeto. O local era cheio de chácaras. Ele me perguntou: ‘O que você está vendo aqui?’. Respondi que via a Avenida Afonso Pena. Aí ele falou: ‘pois é, eu estou vendo aqui o maior parque urbano da América do Sul. Vou fazer aqui a obra mais importante da minha vida. Uma obra que quanto mais velha mais ficar moderna será. Vou desapropriar essa região e farei o maior parque urbano da América do Sul’”, lembra Maia.

Dez dias depois as máquinas já estavam em operação para dar vida a um parque que se configura em um dos principais diferenciais de Campo Grande.

lago

O mais importante do projeto era o lago, recorda o engenheiro Katayama.

O projeto teve duas fases: a do primeiro mandato do ex-governador Pedro Pedrossian, com os passos iniciais, e a segunda etapa, no último mandato, quando a obra foi concluída, entre os anos de 1991 a 1994. O ex-secretário estadual de Obras e Infraestrutura, engenheiro Renato Katayama – que participou do processo, no segundo mandato de Pedrossian – conta que o principal objetivo da construção do Parque das Nações Indígenas era o lago.

*Ver reportagem completa de Alana Regina na edição de hoje (20/03/2017) do jornal “O Estado”. http://www.oestadoonline.com.br – Supimpa, Alana, pela reportagem, e supimpa Mário Hada CG e Saul Schramm pelas belas fotos.

*****

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s